O cinema como máquina do tempo: Temporalidade e duração nos filmes de Abel Gance

  • Paul Cuff University of Warwick, Department of Film and Television Studies, Coventry CV4 7HS
Palavras-chave: Abel Gance, Cinema mudo, Serials, Duração, Slow cinema, Montagem

Resumo

Este ensaio examina o papel da duração nos filmes de Abel Gance, focando-se em particular em J’accuse! (1919) e La Roue (1922). Argumentarei que a duração e formato destes filmes desempenhou um papel central no modo como foram produzidos, distribuídos e recebidos pela crítica. O ensaio começa por traçar a evolução dos primeiros filmes de Gance em relação com os modos de produção e distribuição contemporâneos. Demonstrarei que a passagem da curta para a longa-metragem também envolveu um movimento para a serialiedade enquanto modo de exibição comercial. Ao explorar a sua longa duração e formato multi-partes, a Pathé promoveu com sucesso o filme de quatro horas J’accuse como uma obra de grande qualidade artística e enorme apelo popular. A segunda secção aborda a estreia de La Roue, sublinhando a reação da crítica contra a sua duração extrema (oito horas) e formato em episódios. A última secção do ensaio contém uma análise detalhada do “episódio” final de La Roue. Defenderei o tempo lento do filme e a sua duração extensiva, argumentando que ambos servem um propósito expressivo complexo – especialmente nas últimas cenas. Finalmente, sugiro que a preocupação de Gance com a temporalidade provém da sua crença no cinema como um modo de preservar a memória da perda – e que o desfecho narrativo de La Roue dá corpo à sua própria tentativa de lidar com um desgosto pessoal.

Biografia Autor

Paul Cuff, University of Warwick, Department of Film and Television Studies, Coventry CV4 7HS
Paul Cuff é professor associado no Depatamento de Estudos de Televisão e Cinema na Universidade de Warwick. As suas áreas de investigação incluem a adaptação, o cinema mudo, comédia cinematográfica e radiofónica, e som/música. A sua monografia mais recente é Abel Gance and the End of Silent Cinema: Sounding Out Utopia (Palgrave/Macmillan, 2016).
Publicado
2017-06-14
Secção
Dossier Temático