A escola francesa de som direto: Antoine Bonfanti e Paul Vecchiali, o caso Femmes, femmes (1974)

  • Sérgio Puccini Soares Universidade Federal de Juiz de ForaInstituto de Artes e Design, Bacharelado em Cinema e Audiovisual,Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens, IAD - Campus Universitário, Bairro São Pedro, 36036-330, Juiz de Fora
Palavras-chave: Antoine Bonfanti, Paul Vecchiali, Cinema Francês, Som directo

Resumo

O artigo aborda a tradição do som direto no cinema francês a partir de análise de caso do filme Femmes, femmes (1974). O filme de Paul Vecchiali conta com a presença do técnico de som Antoine Bonfanti, parceiro constante nas produções do cineasta francês e um dos principais nomes da moderna escola francesa de som direto que se inicia no início dos anos 1960. Em Femmes, femmes temos um exemplo bastante original do uso do som direto como principal elemento no tratamento sonoro assumido com todas as suas imperfeições e ruídos. Ao voltarmos nosso foco para o trabalho de Antoine Bonfanti, procuramos destacar a importância do técnico de som entendido também como um profissional de criação.

Biografia Autor

Sérgio Puccini Soares, Universidade Federal de Juiz de ForaInstituto de Artes e Design, Bacharelado em Cinema e Audiovisual,Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens, IAD - Campus Universitário, Bairro São Pedro, 36036-330, Juiz de Fora

Professor adjunto do Bacharelado em Cinema e Audiovisual e do Programa de Pós-Graduação em Artes, Cultura e Linguagens do Instituto de Artes e Design da UFJF. Possui graduação em Artes Plásticas pela Universidade Estadual de Campinas, mestrado e doutorado em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas. Pós-doutor pela Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3, com bolsa da FAPEMIG. Tem experiência na área de Artes e Cinema, com ênfase em Roteiro, Dramaturgia, Documentário e Som no Cinema. Co-dirigiu (com Alessandra Brum) e roteirizou o curta Voltei para buscar os bolinhos (16mm, 15mins, 2005). Foi assistente de direção em Histórias de concreto, dirigido por Célia Harumi Seki (16mm, 12mins, 2007). Realizou também diversos vídeos de caráter experimental como Estrada da Rhodia (VHS, 6mins, 2000) e Entreimagens (Mini-DV, 3mins, 2008). É autor dos livros Amanhã. Aqui. Nesse mesmo lugar (Javali, 2008) e Roteiro de Documentário: da pré-produção à pós-produção (Editora Papirus 2009), publicado também na Argentina em 2015 pela La Marca Editora com o título Guión de documentales: De la preproducción a la posproducción.

Referências

BIBLIOGRAFIA

Andrew, Dudley. Sound in France, the origens of a native school. Em: Altman, Rick (org.). Cinema/Sound. New Haven: Yale French Studies, #60, 1980.

Barnier, Martin. Les premiers ingénieurs du son français.Paris: 1895, Revue d’histoire du cinéma, # 65, inverno de 2011.

Bazin, André. O que é cinema?. São Paulo: Cosac Naify, 2014.

Beck, Jay. Designing sound, audiovisual aesthetics in 1970s american cinema. New Brunswick, New Jersey, London: Rutgers University Press, 2016.

Calzada, Víctor Fowler. Antoine Bonfanti y su médio siglo de sonidos. En foco. #26, ano 03, maio 2010. San Antonio de los Baños.

Chion, Michel. Le son au cinema. Paris: Cahiers du Cinema/Editions de l’Etoile, 1985.

_____________. Technique et création au cinéma, le livre des images et des sons. Paris: ESEC Edition, 2002.

_____________. A audiovisão. Lisboa: Texto & Grafia, 2011.

Cornand A.; Lajeunesse J. (1974). Anoine Bonfanti. Image et son, la revue du cinema, #285, Juin/Juillet. Paris.

Flôres, Virginia. O cinema, uma arte sonora. São Paulo: Annablume, 2013.

Holman, Tomlinson. Sound for film and television. Boston: Focal Press, 2002.

Lastra, James. Sound technology and the american cinema, perception, representation, modernity. New York: Columbia University Press, 2000.

Kahn, Douglas. Noise, water, meat, a history of sound in the arts. Cambridge, London: The Mit Press, 2001.

Marie, Michel. Quebec – Franca, voltas, reviravoltas, vaivéns nas duas direções. São Paulo: Rebeca, revista brasileira de estudos de cinema e audiovisual – ano 2 número 4, Julho-dezembro 2013.

Nougaret, Claudine; Chiabaut, Sophie. Le son direct au cinema. Paris: FEMIS, 1997.

Pimentel, V.; Vasconcelos, A.. Encontro com Antoine Bonfanti. Cinemateca Portuguesa, Março de 1985, Lisboa.

Rabourdin, Dominique. Paul Vecchiali (Femmes, femmes). Cinéma #194, Janvier 1975.

Saguenail; Guimarães, R. (1995). Conversa com Antoine Bonfanti. A grande ilusão, revista de cinema, número 18-19, novembro. Porto, Portugal.

Segura, S.; Mouriès, S.. La grande aventure du cinéma c’est le son. Ina, les nouveaux dossiers de l’audiovisuel. # 31, fév-mars 2005. Paris.

Souza, João Baptista Godoy. Procedimentos de trabalho na captação de som direto nos longas-metragens brasileiros Contra todos e Antônia: a técnica e o espaço criativo. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo. São Paulo, 2010.

Wisnik, José Miguel. O som e o sentido. São Paulo: Cia. das Letras, 2002.

FILMOGRAFIA

Antoine Bonfanti, traces sonores d'une écoute engagée [longa-metragem, Betacam & DV] Dir. Suzanne Durand, Le Mur du son cinema et al., França, 2002. 55mins.

Femmes, femmes [longa-metragem, 35mm] Dir. Paul Vecchiali, Unité 3, França, 1974, 115mins.

Publicado
2020-01-22