O fundo da paisagem: um modelo de leitura paisagística do Cinema Russo e Soviético a partir do conceito de fundo como categoria estética

Carlos Muguiro

Resumo


A ideia de fundo (horizonte) é consubstantial ao nascimento da paisagem no Ocidente – um conceito que o cinema herda e assume desde as suas origens. Considerando essa noção, este estudo ensaia uma aproximação à representação da natureza no Cinema Russo e Soviético. A ideia desenvolvida é a de que o fundo funciona, em si mesmo, como uma categoria estética, a partir da qual é possível estabelecer um modelo de análise diacrónico e histórico desse cinema. De um ponto de vista metodológico, este artigo baseia-se na dupla distinção feita por Maurizia Natali entre figura e fundo, e o fundo do fundo. Temporalmente, centra-se especificamente nas potencialidades dessa ideia de fundo até à consolidação do Cinema Russo e Soviético, em meados da década de 30 do século passado.


Palavras-chave


Paisagem; Fundo; Horizonte; Cinema Russo e Soviético

Texto Completo: PDF (Español)



Esta revista é publicada pela AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento com o apoio do IHC - Instituto de História Contemporânea (FCSH-UNL) | Os textos aqui publicados têm uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional | Design: Bloco D | ISSN 2183-1750

Indexação: Latindex, ERIH/European Science Foundation, RCAAP, DOAJ, Crossref | CAPES/WebQualis: A2