A periferia reimaginada

Uma conversa com Affonso Uchôa

  • Maria Leite Chiaretti Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, 05508-020, São Paulo
  • Mateus Araújo Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, Departamento de Cinema, rádio e televisão e programa de pós-graduação em Meios e Processo Audiovisuais, 05508-020, São Paulo
Palavras-chave: Cinema Brasileiro Contemporâneo, periferia, Cinema independente, violência de Estado, Affonso Uchôa

Resumo

Conversa com o cineasta Affonso Uchôa sobre seu itinerário artístico, suas estratégias de produção e alguns aspectos de sua obra: relação com as pessoas filmadas, importância da palavra, necessidade da imaginação, experiência da periferia, seus padrões de sociabilidade, a violência cotidiana, a amizade como comprensação para a ausência de família.

Biografias Autor

Maria Leite Chiaretti, Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, 05508-020, São Paulo
Maria Chiaretti é pesquisadora e programadora de cinema e audiovisual. É mestre em teoria e história do cinema pela Université Paris 8 Vincennes/Saint-Denis e doutora pela Eca-USP, onde desenvolveu pesquisa sobre cineastas improvisadores dos anos 1960-70. Entre 2009-2010, programou o Cine Humberto Mauro (Palácio das Artes, Belo Horizonte). Programou e produziu diversas mostras para espaços como o Centro Cultural Banco do Brasil, Caixa Cultural e CineSesc. Seu último projeto foi a curadoria da mostra Lumière Cineasta (com Calac Nogueira e Lucas Baptista, CCBB, 2020). Atualmente, integra a equipe da Ubu Editora.
Mateus Araújo, Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, Departamento de Cinema, rádio e televisão e programa de pós-graduação em Meios e Processo Audiovisuais, 05508-020, São Paulo
Mateus Araújo é doutor em filosofia pela Sorbonne e pela UFMG, professor Livre-Docente de teoria e história do cinema na ECA-USP, ensaísta e tradutor. Organizou ou co-organizou os livros Glauber Rocha / Nelson Rodrigues (Magic Cinéma, 2005), Jean Rouch 2009: Retrospectivas e Colóquios no Brasil (Balafon, 2010), Straub-Huillet (CCBB, 2012), Charles Chaplin (Fundação Clóvis Salgado, 2012), Jacques Rivette (CCBB, 2013), Godard inteiro ou o mundo em pedaços (CCBB / Heco produções, 2015), O cinema interior de Philippe Garrel (CCBB, 2018), Glauber Rocha: crítica esparsa (Fundação Clóvis Salgado, 2019) e Glauber Rocha: O Nascimento dos deuses (Fundação Clóvis Salgado, 2019). Tem artigos publicados em Film Quarterly, Cahiers du Cinéma, Novos Estudos Cebrap, Clássica, Kriterion, Devires, Eco-pós, Cinemais, La Fúria Umana, etc. Traduziu Glauber Rocha na França (Le Siècle du Cinéma, La Crisnée: Ed. Yellow Now / Magic Cinéma, 2006, 335p.) e uma série de autores franceses no Brasil. 
Publicado
2020-07-14