“Será que vocês estão preparados para ver isto?”

  • Cristina de Branco ISCTE, Universidade Nova de Lisboa, CRIA, doutoramento em Antropologia: Políticas e Imagens da Cultura e Museologia, 1069-061, Lisboa

Resumo

Entre os dias 13 e 17 de março de 2019, realizou-se um "encontro de visões de vários lados", tomando as palavras de Ailton Krenak, a Mostra Ameríndia – Indigenous Cinema Routes in Brazil, no auditório da Coleção Moderna do Museu Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Biografia Autor

Cristina de Branco, ISCTE, Universidade Nova de Lisboa, CRIA, doutoramento em Antropologia: Políticas e Imagens da Cultura e Museologia, 1069-061, Lisboa

Nascida em Lisboa, criada em São Paulo, Cristina de Branco é doutoranda no Programa Doutoral FCT em Antropologia: Políticas e Imagens da Cultura e Museologia (ISCTE-IUL/FCSH-UNL), mestre em Antropologia: Culturas Visuais (FCSH-UNL), com intercâmbio na Universidade de São Paulo e orientação de Catarina Alves Costa, e licenciada em Estudos Artísticos e Culturais (FL-UL), com intercâmbio na Universitá di Firenze. Como co-criadora, câmera e montadora, integrou o projeto Visto Permanente - Acervo Vivo das Novas Culturas Migrantes de São Paulo (www.vistopermanente.com) desde 2015, tendo filmado e editado mais de trinta vídeos do acervo e estado envolvida na produção de vários Territórios Artísticos Imigrantes pela cidade. Foi co-criadora, programadora e produtora dos projetos Microcine Migrante, em São Paulo, e CineSur Microcine Latino-americano de Lisboa, dedicando-se também a pesquisa sobre cinematografias latino-americanas. Hoje encontra-se também na fase de montagem do seu primeiro longa-metragem documental, Santa Mala se Manifiesta, sobre três irmãs bolivianas, imigrantes em São Paulo, costureiras e rappers.

Publicado
2019-08-20