Para uma história das histórias do cinema português

  • Paulo Cunha Universidade de Coimbra, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, 3000-186 Coimbra, Portugal.
Palavras-chave: cinema português, cinema nacional, história, identidade, tradição

Resumo

Durante décadas, a história do cinema português não foi feita por historiadores ou académicos das ciências sociais e humanas, mas por curiosos, entusiastas e autores que estavam comprometidos com o próprio objeto. Foi, portanto, com alguma naturalidade que esses primeiros escritos, apesar de uma importância fundamental na recolha e inventariações das fontes, promovessem a criação de mitos que, de forma mais implícita ou explícita, manipulavam o passado do cinema português e condicionaram a sua construção histórica.

Este dossiê temático reúne quatro ensaios que analisam e refletem sobre diferentes ideias e conceções de Cinema Português que foram sendo esboçadas em ações, textos e filmes ao longo das décadas. O propósito deste dossiê não é responder às perguntas, mas aproveitá-las para rever ideias feitas e também para lançar hipóteses de leitura para problemáticas clássicas e atuais na história do cinema português.

 

Biografia Autor

Paulo Cunha, Universidade de Coimbra, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, 3000-186 Coimbra, Portugal.
Paulo Cunha (1978-) é Doutor em Estudos Contemporâneos pela Universidade de Coimbra. É membro do grupo de trabalho Correntes Artísticas e Movimentos Intelectuais do CEIS20 - Centro de Estudos Interdisciplinares do Séc. XX da Universidade de Coimbra. Lecciona na Universidade da Beira Interior e na Escola Superior de Tecnologia de Abrantes. Coordenador editorial da Nós por cá todos bem. Coordena o grupo de trabalho História do Cinema Português da AIM.
Publicado
2016-02-01