O fundo da paisagem: um modelo de leitura paisagística do Cinema Russo e Soviético a partir do conceito de fundo como categoria estética

  • Carlos Muguiro Universidad de Navarra, Facultad de Comunicación, Departamento de Cultura y Comunicación Audiovisual, 31080, Pamplona
Palavras-chave: Paisagem, Fundo, Horizonte, Cinema Russo e Soviético

Resumo

A ideia de fundo (horizonte) é consubstantial ao nascimento da paisagem no Ocidente – um conceito que o cinema herda e assume desde as suas origens. Considerando essa noção, este estudo ensaia uma aproximação à representação da natureza no Cinema Russo e Soviético. A ideia desenvolvida é a de que o fundo funciona, em si mesmo, como uma categoria estética, a partir da qual é possível estabelecer um modelo de análise diacrónico e histórico desse cinema. De um ponto de vista metodológico, este artigo baseia-se na dupla distinção feita por Maurizia Natali entre figura e fundo, e o fundo do fundo. Temporalmente, centra-se especificamente nas potencialidades dessa ideia de fundo até à consolidação do Cinema Russo e Soviético, em meados da década de 30 do século passado.

Biografia Autor

Carlos Muguiro, Universidad de Navarra, Facultad de Comunicación, Departamento de Cultura y Comunicación Audiovisual, 31080, Pamplona

Carlos Muguiro é Professor da Estética na Universidad de Navarra e diretor do ramo de Documentário na ECAM (Escuela de Cinematografía y del Audiovisual de la Comunidad de Madrid). Doutorou-se em Humanidades pela Universidad Pompeu Fabra de Barcelona, com uma tese sobre a representação da natureza no Cinema Russo e Soviético, que lhe valeu o Prémio Especial de Doutoramento. Foi Professor Visitante no Departamento de Estudos Eslavos da Cambridge University. Muguiro programou a primeira retrospetiva de Aleksandr Sokurov em Espanha e foi curador do projecto 'Ver sin Vertov' no centro cultural Casa Encendida, em Madrid, uma exposição dedicada à tradição do cinema documental russo e soviético ao longo dos últimos cinquenta anos, desde a morte de Dziga Vertov até 2005. No seguimento deste ciclo, editou a monografia Ver sin Vertov (1955-2005) Cincuenta años de no ficción en Rusia y la URSS. Muguiro também editou os livros Ermanno Olmi. Siete encuentros y otros instantes; El cine de los mil años. Una aproximación histórica y estética al cine documental japonés; El hombre sin la cámara: El cine de Alan Berliner/ The Man without the Movie Camera: The Cinema of Alan Berliner e mais recentemente Las formas de la estalgia. Construcción y manifestaciones de ‘la nostalgia de lo ruso-soviético’ en la cultura cubana contemporánea e Mi abuelo murió leyendo a Pushkin (Antología de escritores cubanos post soviéticos). Enquanto realizador, trabalhou com Sergio Oksman nos filmes O futebol (2015), A Story for the Modlins (2012) e Notes on the Other (2008).

Publicado
2016-11-08
Secção
Dossier Temático