“É trabalho de Formiguinha”: Hernani Heffner, conservação e preservação na Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

  • Thaís Blank Fundação Getulio Vargas, Escola de Ciências Sociais CPDOC, 22253-900, Rio de Janeiro
Palavras-chave: Cinemateca do MAM, arquivos de cinema, preservação

Resumo

Entrevista com Hernani Heffner, conservador-chefe da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. A entrevista aborda a  trajetória profissional do conservador, os desafios e conquistas vividos na Cinemateca do MAM, as especificidades deste acervo e os dilemas enfrentados pelas instituições que trabalham pela conservação e difusão da memória audiovisual brasileira.


Biografia Autor

Thaís Blank, Fundação Getulio Vargas, Escola de Ciências Sociais CPDOC, 22253-900, Rio de Janeiro

Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015) e em Histoire Culturelle et Sociale de LArt pela Universidade Paris 1 Panthéon-Sorbonne (2015). Mestre em Comunicação e Cultura pela UFRJ (2010). Graduação em Comunicação Social com habilitação em Cinema pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2007). Coordenadora do Núcleo de Audiovisual e Documentário da Escola de Ciências Socais da FGV/CPDOC, onde ministra disciplinas como professora horista.

 

Publicado
2016-07-18
Secção
Entrevistas