1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14

A AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento surgiu da vontade de reunir em Portugal, numa mesma entidade representativa, um conjunto de investigadores que têm em comum objectos e temas de pesquisa.

Torne-se Membro

Junte-se a uma comunidade internacional de investigadores das imagens em movimento e fique a par de todas as iniciativas e novidades da AIM!

Notícias

  • XII Congresso Internacional da AIM
  • Abertas as submissões para os Prémios AIM 2023

     

    Prémios AIM


    A AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento tem como missão a promoção da investigação em áreas como o cinema, a televisão, o vídeo e a Internet, e pretende ser uma plataforma de conhecimento e de partilha científica entre os vários investigadores que, em Portugal e fora do país, trabalham sobre imagens em movimento.

    Neste sentido, a direção da AIM decidiu instituir os Prémios AIM. Com a sua primeira edição em 2021, estes prémios visam destacar e promover a excelência na investigação sobre imagem em movimento, premiando o trabalho dos membros da Associação nas seguintes categorias:




    Os resultados da segunda edição dos Prémios AIM serão anunciados em maio de 2023, durante o XII Congresso Internacional da AIM.

    PRAZO PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS
    29 de Janeiro de 2023

    VALOR

    200 euros para a categoria de Melhor Monografia.

    150 euros para as restantes categorias.


    JÚRI DOS PRÉMIOS AIM 2023

    Eduardo Paz Barroso, LabCom & FCHS, Universidade Fernando Pessoa

    Ana Bela Morais, CeComp, Universidade de Lisboa

    Caterina Cucinotta, IHC, NOVA de Lisboa


  • Chamada de Trabalhos Dossier temático "As Crises da Exibição Cinematográfica"

    Chamada de Trabalhos

    Dossier temático "As Crises da Exibição Cinematográfica"

    Prazo: 15 de janeiro, 2023


    A Aniki: Revista Portuguesa da Imagem em Movimento anuncia a abertura da chamada de trabalhos para o dossier temático "As Crises da Exibição Cinematográfica”, editado por Rafael de Luna Freire (Universidade Federal Fluminense, Brasil), Charlotte Orzel (Universidade da Califórnia, Santa Barbara, EUA), e Ross Melnick (Universidade da Califórnia, Santa Barbara, EUA).


    O prazo para a submissão de artigos completos e originais em português, inglês ou espanhol é: 15 de Janeiro de 2023.

    Mais informações em:

    https://aim.org.pt/ojs/index.php/revista/announcement/view/63

  • Chamada de trabalhos para o Congresso Congresso: "Pensar o Século XX. Olhares do século vinte e um".


     

    Chamada de participação

    Ainda antes do final do ano 2000, já o século XX se constituía como problema em diferentes campos das ciências sociais e humanas. A coincidência entre o final do século e a conclusão de alguns dos seus fenómenos políticos mais emblemáticos – o comunismo no chamado Bloco de Leste, a Guerra Fria – pareceu reforçar a urgência de balanços e novas narrativas. O século surgia aí como uma ‘era dos extremos’ (Eric Hobsbawm) – e a Europa novecentista como um ‘continente sombrio’ (Mark Mazower) –, um ‘mundo de fantasia e catástrofe’ (Susan Buck-Morss) alternando entre a promessa utópica e a queda no abismo, ou, para citar alguns títulos mais recentes de histórias do século, uma ‘ida e volta ao inferno’ (Ian Kershaw), oscilando entre a ‘barbárie e a civilização’ (Bernard Wasserstein) e exigindo uma ‘história em fragmentos’ (Richard Vinen).

    Como estes títulos sugerem, a dramatização do século foi para muitos uma dimensão inseparável das formas narrativas que ao longo dele proliferaram. É neste sentido que se pode falar em ‘acontecimentos modernistas’ (Hayden White), ou seja, acontecimentos cuja dimensão exige a inventividade do modernismo, ou das próprias formas modernistas como expressão de um século percorrido pelo ‘antagonismo’ (Alain Badiou). No limite, a imagem do século pode coincidir com o olhar de uma arte moderna, o cinema (Francesco Casetti falou do ‘olho do século’), ou mesmo com uma das suas técnicas artísticas mais marcantes, como quando Georges Didi-Huberman fala da montagem como o ‘olho da história’ no século XX.

    O próprio século XXI pensa-se e representa-se a partir das muitas versões com que o século anterior é visto como ‘a última catástrofe’ (Henry Rousso), um marcador temporal da história do tempo presente. Ao longo das últimas duas décadas, a historiografia, a filosofia, a ciência política, os estudos artístiscos, entre inúmeras outras disciplinas, têm insistentemente refletido sobre o presente a partir das múltiplas narrativas produzidas ao longo, ou a propósito, do século XX. Mais do que um período histórico específico, o século passado constitui-se aí como um conceito, ou imaginário, que determina formas de pensamento político e representações sociais e artísticas. A sua proximidade, por outro lado, o dramatismo dos seus acontecimentos mais marcantes, bem como a profusão de formas audiovisuais que o percorreram, fazem do século XX um objeto particularmente propício à produção de memória e à emergência de novas fontes, arquivos e mediações históricas.

    O congresso Pensar o Século XX. Olhares do século vinte e um procura situar-se nos debates contemporâneos sobre a história, memória e herança do século XX, contribuindo para a diversificação e complexificação das suas narrativas e representações. Convida, nesse sentido, participações a partir de múltiplas áreas científicas que reflitam sobre o século XX – e sobre o tempo presente a partir do século XX –, incluindo (entre outras) a história e a memória, a história de arte, os estudos culturais, artísticos e literários, a filosofia, as ciências da comunicação, a pedagogia, as humanidades digitais, a economia e as ciências sociais, os estudos do clima e do ambiente, as ciências naturais e a tecnologia, os estudos urbanos e das mobilidades.

    Datas 1, 2 e 3 de fevereiro de 2023

    Local Universidade de Coimbra

    Organização Centro de Estudos Interdisciplinares

    Critérios para submissão As propostas deverão ser enviadas em forma de resumo, entre 300 e 500 palavras, em português, inglês, francês ou espanhol para o endereço pensarseculoxx@uc.pt

    Data limite para envio de propostas 18 de novembro de 2022


    Mais informações em: 

    https://www.uc.pt/iii/ceis20/article?key=a-a7f384c84e

  • Aniki volume v. 9 n. 2 (2022) online