O Fantasma de Jackson Pollock: Os estranhos movimentos do pintor pelas lentes do cinema

Palavras-chave: Jackson Pollock, Walter Benjamin, história da arte, pós-modernismo, cultura de massa, pintura, documentário

Resumo

O artigo se propõe analisar o filme experimental de Hans Namuth, Jackson Pollock 51, sobre o processo de Pollock na fase do dripping. Ao longo do texto serão evidenciados os desajustes entre a tentativa de capturar o segredo dos movimentos do artista em volta da tela e as opacidades introduzidas pela câmera, que ao invés de mostrar mais, paradoxalmente, desnaturaliza o olhar. Os casos de Matisse, que percebe a “estranha excitação” do gesto de sua mão no filme de François Campaux (1946), e da atuação de Picasso no filme de Georges Clouzot, O Mistério Picasso (1956), servirão como contrapontos para explorar o tema da mediação da pintura operada pela imagem em movimento, nesse momento de transição entre o modernismo e as práticas dos anos 1960, quando os artistas exploraram a potência do gesto e de seus duplos na performance, na videoarte e na body art.

Referências

Adorno, Theodor. 1998. “Museu, Valery, Proust.” Em: Prismas: crítica cultural e sociedade. São Paulo: Ática.

Agamben, Giorgio. 1996. “Note sul gesto.” Em Mezzi Senza Fine: Note sulla politica. Turim: Bollati Boringhieri.

Benjamin, Walter. 1986a [1936]. “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica.” Em: Obras Escolhidas – Vol. I. Magia e técnica, arte e política, coordenação editorial de Alice Kobayashi; tradução de Sergio Paulo Rouanet, pp. 165-196. São Paulo: Editora Brasiliense.

__________. 1986b [1928]. “O Surrealismo. O último instantâneo da inteligência europeia.” Em: Obras Escolhidas – Vol. I. Magia e técnica, arte e política, coordenação editorial de Alice Kobayashi; tradução de Sergio Paulo Rouanet, pp. 21-35. São Paulo: Editora Brasiliense.

__________. 1986c [1931]. “Pequena História da Fotografia.” Em: Obras Escolhidas – Vol. I. Magia e técnica, arte e política, coordenação editorial de Alice Kobayashi; tradução de Sergio Paulo Rouanet, pp. 91-107. São Paulo: Editora Brasiliense.

__________. 1987 [1928]. “Rua de mão única.” Em: Obras Escolhidas – Vol. II. Rua de mão única, coordenação editorial de Alice Kobayashi; tradução de Rubens Rodrigues Torres Filho, pp. 9-70. São Paulo: Editora Brasiliense.

Brassai, George. 1967. Picasso and Co. Londres: Thames and Hudson.

Buck-Morss, Susan. 2012. “Estética e Anestética: Uma reconsideração de ‘A obra de arte’ de Walter Benjamin.” Em: Benjamin e a Obra de Arte: Técnica, imagem, percepção, organizado por Tadeu Capistrano; tradução de Marijane Lisboa e Vera Ribeiro, pp. 155-204. Rio de Janeiro: Contraponto.

Clarke, T.J. 1999. Farewell to an Idea: Episodes From a History of Modernism. New Haven: Yale University Press.

Copjec, Joan. 2002. Imagine There’s No Woman. Cambridge: The MIT Press.

Didi-Huberman, Georges e Nancy, Jean-Luc, 2007. Del Contemporaneo. Saggi su arte e tempo. Milano: Mondadori.

Guilbaut, Serge. 1983. How New York Stole the Idea of Modern Art: Abstract Expressionism, Freedom and the Cold War. Chicago, Londres: University of Chicago Press.

Goodnough, Robert. 1950. “Pollock Paints a Picture.” ARTnews, dezembro, 38-41.

Hartstorne, Charles, Weiss, Paul, e Burks, Arthur W. ¬1931-35. The Collected Papers of Charles Sanders Peirce. Vols. VII-VIII. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press.

Hansen, Miriam. 1999. “Benjamin and Cinema: Not a One-Way Street.” Critical Inquiry, 25-2: 306-343.

__________. 2012. Cinema and Experience: Siegfried Kracauer, Walter Benjamin and Theodor W. Adorno. Berkeley, Los Angeles e Londres: University of California Press.

Kalb, Peter R. 2012. “Picturing Pollock: Photography’s Challenge to the Historiography of Abstract Expressionism.” Journal of Art Historiography 7: 1-17.

Krcma, Ed. 2012. “Lighting and rain Phenomenology, Psychoanalysis and Matisse’s Hand.” Tate Paper, 18. Disponível em: http://www.tate.org.uk/research/publications/tate-papers/18/lightning-and-rain-phenomenology-psychoanalysis-and-matisses-hand. Acesso em: 20/12/19.

Pinotti, Andrea e Somaini, Antonio. 2012. Walter Benjamin. Aura e choc, Saggi sulla teoria dei media. Einaudi: Turim.

Miller, Jacques Alain. 1967. “A Sutura: Elementos da lógica do significante”. Em: Estruturalismo: Introdução de textos teóricos, organizado por E.P. Coelho, pp. 211-224. São Paulo: Martins Fontes.

Oudart, Jean-Pierre. 1977. “Cinema and Suture”. Screen 18(4): 35-47.

Rose, Barbara. 1980a. “Jackson Pollock at Work: An Interview with Lee Krasner.” Partisan Review 47: 82-92.

__________. 1980b. Pollock Painting. New York: Agrinde Publications.

Salzstein, Sônia. 2007. T.J. Clark: Modernismos. Ensaios sobre política, história e teoria da arte. São Paulo: Cosac Naify.

Seiberling, Dorothy. 1949. “Jackson Pollock: Is He the Greatest Living Painter in the United States?.” Life 8-8: 42-45.

Publicado
2022-01-11